Web 1.0 e 2.0

O início da World Wide Web, inventada por Tim Berners-Lee, designada de Web 1.0, caracterizava-se por um conjunto de páginas estáticas com extensos arquivos de informação. Os utilizadores possuíam limitações tanto de conexão como de tecnologia; eram meros leitores de sites que nem sequer tinham um layout1 bonito e atraente, onde se publicava apenas conteúdo de uma forma digital

Com a introdução do termo Web 2.0, por Tim O’Reilly (Fig.1), fundador da O’Reilly Media, editora americana dedicada à área da computação, que para além de publicar livros, desenvolve sites para a Web e organiza congressos. A Web 2.0 é utilizada para descrever a segunda geração da World Wide Web, baseada na colaboração e partilha entre utilizadores com sites e serviços virtuais. Dada esta evolução, o ambiente on-line torna-se mais dinâmico, sendo os próprios internautas a criar e organizar os conteúdos, ou seja, são emissores e receptores de informação.

Fig.1 – Tim O’Reilly

De acordo com Tim O’Reilly, a “Web 2.0 é a mudança para uma internet como plataforma, e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Entre outras, a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência colectiva.2

A internet é uma plataforma com todos os elementos necessários para que os programas possam existir, ou seja, permite a colaboração e interacção entre utilizadores de serviços e ferramentas. Na Web 2.0 os softwares funcionam na propria Internet não estando dependentes do sistema operativo e com constantes actualizações, ou seja, são programas de código aberto e uma parte deles podem ser utilizados por qulaquer pessoa para serem feitos outros programas utilizando para isso, APIs (Interface de Programação de Aplicativos) que não se envolvem em detalhes da implementação do software, mas apenas usam os seus serviços. Os APIs são utilizados para que outros sites utilizem parte dos seus dados nos serviços deles. Nesta nova Web, dos grandes servidores passamos a descobrir as redes peer-to-peer, cliente-para-cliente, onde os utilizadores são servidores e clientes, trocando directamente os dados entre si.

Nesta nova Web 2.0, os conteúdos dos sites sofreram impactos significativos, nomeadamente ao nível das Redes Sociais. As Redes Sociais são as relações existentes entre os indivíduos através da interacção e comunicação mediada por computador. Como exemplo temos o Hi5, Orkut, Comunidades Virtuais, Weblogs e Fotologs. O Bookmarking Social é outro dos conceitos associados a Web 2.0, que permite através das Tags (etiquetas) aos utilizadores classificar os seus favoritos com palavras-chave, o chamado Social Tagging. O objectivo é a posterior recuperação da informação que facilita a pesquisa dos temas nas nossas tags bem como nas tags de outros utilizadores. O del.icio.us é o mais conhecido serviço de Bookmarking Social. Estas marcações efectuadas dá origem as Folksonomias em que pessoas partilham os seus interesses e transmitem-nos contrastando com a taxonomia do sistema. Outros conceitos surgem com a Web 2.0 como as Wikis, o exemplo mais conhecido temos a Wikipedia, em que os próprios utilizadores criam e editam os artigos existentes na enciclopédia online. Uma ferramenta utlizada para criar aplicações interactivas para a Web, é a tecnologia Ajax (abreviação de JavaScript e XML assíncrono), uma das primeiras Empresas a utilizar esta tecnologia foi a Microsoft, mas o Google quando a utilizou para serviços como mapas online, é que deu maior visibilidade a ferramenta Ajax. Outros serviços existentes na Web 2.0, são o adsense (plano de publicidade da Google), Mash-ups, serviços criados pela combinação de duas diferentes aplicações para a Internet, uma mistura de sites e as RSS (really simple syndication), uma combinação de tecnologias “Pull”em que os utilizadores solicitam as actualizações que desejam e recebem as informações automaticamente através da tecnologia “Push”. Este processo é chamado de “assinar um feed”. Dentro deste contexto, o termo Web 2.0 não designa concretamente uma nova tecnologia programada daquilo que vemos, pelo contrário, é acima de tudo uma mudança que tem mais relevo na forma como usamos a Internet do que na forma que esta está feita.

Actualmente, já se fala numa nova geração de Internet com serviços inteligentes, denominada de Web 3.0 ou Web semântica, com uma maior capacidade de analisar conteúdos, uma pesquisa mais avançada, utilizando para isso a Linguagem XML, Sintaxe RDF e Ontologias OWL.


1 Layout – Esquema visual que mostra todas as páginas que se pretende criar para um site e quais as páginas que servem de link para outras.

2 http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_2.0#A_Web_.C3.A9_a_plataforma.2C_o_software_um_servi.C3.A7o

Advertisements

One Response to Web 1.0 e 2.0

  1. […] 1.0, caracterizava-se por um conjunto de páginas estáticas com extensos arquivos de informação […] Possibly related posts: (automatically generated)História os ComputadoresHugh Johnson ilumina o […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: