História da Informática

Desde os primeiros tempos, que o homem sentiu necessidade de tratar os números contando e contabilizando, o que o levou a procurar formas que facilitassem essas tarefas. Inicialmente, para simplificar o processo de contagem, o homem começou a contar os objectos em grupos de dez, utilizando os dedos da sua mão.

Este facto influenciou a organização dos sistemas de numeração usados na realização de cálculos numéricos.

O sistema de numeração decimal nasceu do uso dos dedos como objectos de contagem. Mais tarde, depois dos primitivos processos de contagem (marcas nas rochas, contagem de seixos e animais), o homem foi descobrindo meios de tratamento de números cada vez mais complexos.

Na história, não se encontram exemplos antigos de máquinas de contar, mas encontra-se um exemplo de uma primitiva máquina de calcular. É a prova mais antiga do nascimento do processamento automático de informação, deve-se ao aparecimento dos Àbacos chineses (3.000 a.c.).

É o calculador conhecido com maior longevidade e ainda hoje é usado no médio oriente para efectuar cálculos. Nas mãos de uma pessoa experiente e treinada permite resolver com grande rapidez problemas envolvendo operações de adição e subtracção. Muitos aparelhos como a ábaco foram construídos posteriormente, sobretudo devido ao facto de este género de invenção facilitar cálculos complexos.

O momento mais significativo para além de tais dispositivos de cálculo foi o aparecimento de um engenhoso sistema de multiplicação, conhecido pelo nome de ossos de napier (1617) que se tornou popular na Europa no início do século XVII. O sistema foi inventado pelo matemático escocês John Napier (1550 / 1617), e consistia em nove barras de cálculo feitas de osso ou marfim numerados de zero a nove. Movendo as barras, obtinha-se o produto de dois números.

Antes do aparecimento deste sistema de multiplicação, John Napier tinha apresentado a sua invenção dos logaritmos naturais ou neperianos (1614), cujas tábuas vieram permitir efectuar as operações de multiplicação e divisão por meio de simples somas ou subtracções. O método de cálculo baseado nos logaritmos foi aperfeiçoado com a introdução dos logaritmos decimais, ou de base dez, que tornaram muito mais fácil o cálculo das tábuas. A régua de cálculo (1621) foi construída seguindo o princípio dos logaritmos do matemático John Napier.

O matemático alemão Gottfried Von Leibnitz (1646 / 1716) desenvolveu e introduziu alguns aperfeiçoamentos na régua de cálculo que, no entanto, não foram suficientes devido a problemas mecânicos.

A primeira máquina capaz de realizar funções matemáticas foi construída cerca de um quarto de século após a descoberta dos logaritmos e nem sequer fez uso dos mesmos. O princípio de funcionamento da pascalina (1642), não era perfeito, só podia fazer somas e subtracções, mas era mecânica e a primeira do seu tipo no mundo, e foi inventada pelo matemático francês Blaise Pascal (1623 / 1662).

Em 1671, o matemático Gottfried Von Leibnitz descobriu as limitações da pascalina, e desenvolveu uma máquina semelhante que servia para realizar multiplicações por um processo de somas sucessivas e a divisão por idêntico processo de subtracções e ficou conhecido por calculador graduado (1694). O matemático Von Leibnitz iniciou estudos no domínio do cálculo binário que foi e será a base do funcionamento de todos os modernos computadores dos nossos dias.

O grande avanço nesta área, surgiu através do matemático inglês George Boole (1815 / 1864), que conseguiu uma representação simbólica de raciocínios e formulou alguns princípios que permitiam que se fizesse corresponder a determinada afirmação um valor lógico. A sua teoria algébrica conhecida por lógica booleana ou álgebra de boole (1854), revelou-se ideal nos circuitos electrónicos.
Contudo o verdadeiro pai do cálculo moderno e dos computadores foi um matemático inglês que viveu em meados do séc. XIX e que se chamava
Charles Babagge (1792 / 1871). O seu projecto revolucionário de uma máquina analítica (1835) apresentava quase todas as características fundamentais dos actuais computadores.

Charles Babagge imaginou uma máquina que pudesse solucionar problemas matemáticos envolvendo uma série de cálculos e uma máquina desse tipo exigia 5 elementos distintos:
1. Uma unidade de entrada de dados para equacionar o problema.
2. Uma unidade de saída de informação para fornecer respostas.
3. Uma unidade de memória para armazenar os resultados.
4. Uma unidade matemática para fazer os cálculos.
5. Uma unidade de controlo para assegurar as tarefas a realizar.
Ada Byron desenvolveu naquela máquina vários programas relacionados com cálculos matemáticos. Em sua homenagem deu-se o nome a uma poderosa linguagem de programação, conhecida como a linguagem Ada.

Mesmo depois da sua morte, a sua assistente

O processamento de dados na máquina analítica de Babagge foi efectuado mais tarde através de cartões codificados perfurados (1860) para automatizar o processo de computação. Foi uma concepção sugerida pelo tear mecânico de Jacquard (1802) do inventor francês Joseph Marie Jacquard (1752 / 1834).

Este sistema veio revolucionar toda a informática, pois permitiu armazenar informação através de um sistema de cartões perfurados sob a forma de código.

O engenhoso sistema de Jacquard inspirou outros inventores entre os quais Herman Hollerith que fundou a computing tabulating recording company, até que se formou a International Business Machines Corporation (IBM).

Marcos importantes na história da informática

Ano

Invenção

Inventor

País

3.000 a. C.

àbaco

Desconhecido

China

1617

Ossos de napier

John Napier

Escócia

1642

Máquina aritmética

Blaise Pascal

França

1694

Calculador graduado

Gottfried Leibniz

Alemanha

1802

Tear de cartões perfurados

Joseph Jacquard

França

1835

Máquina analítica

Charles Babbage

Inglaterra

1890

Máquina de tabulação

Herman Hollerith

Estados Unidos

….

….

….

….


O computador completamente automático só se concretizou com a conclusão do IBM Harvard Mark I (1944), pelo engenheiro Howard Aiken.

Os computadores electrónicos rapidamente substituíram o computador de Howard Aiken. Assim, dois anos após a conclusão do computador de Howard Aiken, os engenheiros John Mauchly e John Eckert apresentavam o computador ENIAC (1946).

O ENIAC (electronic numerical integrator and calculator), era o primeiro computador digital totalmente electrónico do mundo. Foi o primeiro de uma nova geração e a agitação que provocou foi designada por revolução de computadores.

Apercebendo-se que o processo não era eficiente, o matemático húngaro John Von Neumann (1903 / 1957), concebeu a ideia de armazenar um programa numa unidade de memória com recurso à numeração binária. Ajudou a construir um ano após o lançamento do Eniac, o EDVAC (electronic discrete variable automatic computer) (1947) que englobava 2 concepções que se tornaram correntes:

1. Um programa armazenado residente e permanente.
2. Um sistema numérico binário, substituindo o sistema decimal.
O, EDSAC (1948), versão melhorada do Edvac era um computador capaz de ter um programa armazenado internamente por meios electrónicos juntamente com a própria informação a tratar.

Em 1950, a IBM e a Remington Rand iniciam a fabricação de computadores para o mercado, e uma dessas máquinas era um computador chamado UNIVAC I (1951), construído por John Mauchly e John Eckert, cujo foi o primeiro computador a ser vendido pelos seus criadores ao serviço de recenseamento dos EUA. Este foi o primeiro a usar uma banda magnética como elemento de informação.

Só em meados dos anos de 1970, os cientistas desenvolveram um método de colocar milhares de circuitos integrados num único chip de silício. Os chips, lançados pela American Intel Corporation ( Intel ), em 1971, também conhecidos por microprocessadores, são computadores contidos num único circuito integrado.

Foi a invenção e o desenvolvimento deste tipo de semicondutor que resultou na explosão dos computadores pessoais (pc’s), cuja produção e comercialização inicializaram uma verdadeira revolução. O computador zx spectrum (1982), desenhado pelo engenheiro inglês Sinclair, assombrou o mundo ao vender no ano do seu aparecimento cerca de 500.000 unidades. Actualmente. Os cientistas continuam a colocar milhões de circuitos integrados num único chip, e este facto torna os computadores ainda mais pequenos e mais rápidos.

Os computadores actuais são milhões de vezes mais rápidos do que o Eniac e o tempo necessário para obter ou armazenar uma determinada informação na memória, é medido em bilionésimos de segundo. Em 1946, ninguém poderia prever o enorme impacto que os computadores viriam a ter nos anos seguintes. Hoje, fazem parte da nossa vida quotidiana.

Assim, o aparecimento de cada invenção resultou sempre de uma necessidade cuja satisfação ocasionou um acto criativo. A construção de dispositivos de contagem de forma a minimizar o tempo desperdiçado, foi surgindo. Esse facto originou a necessidade de fazer o registo desses números, fixando-os através da sua representação gráfica, ou seja, na escrita e com o crescimento populacional, a globalização e o desenvolvimento do capitalismo no século XX, surgem novas necessidades para o ser humano. A quantidade de dados e informações para serem armazenadas e computadas atinge um volume incalculável.

A informática surge neste contexto: superar a necessidade do ser humano de registar e manipular dados em grandes quantidades com precisão e rapidez.

A palavra Informática é derivada de duas outras palavras associadas a ela, a primeira é informação e a segunda é automática. Essas palavras definem os principais objetivos que foram atingidos pelos computadores. A necessidade de se obter informações automáticas fez com que surgisse justamente esta palavra.

Chama-se genericamente informática ao conjunto das ciências da informação, estando incluídas neste grupo: a ciência da computação, a teoria da informação, o processo de cálculo, a análise numérica e os métodos teóricos da representação dos conhecimentos e de modelagem dos problemas.

O estudo da informação começou na matemática quando nomes como Alan Turing, Kurt Gödel e Alonzo Church começaram a estudar que tipos de problemas poderiam ser resolvidos, ou computados, por elementos humanos que seguissem uma série de instruções simples de forma, independente do tempo requerido para isso. A motivação por trás destas pesquisas era o avanço durante a revolução industrial e da promessa que máquinas poderiam futuramente conseguir resolver os mesmos problemas de forma mais rápida e mais eficaz.

Assim nasceu a informática.

Advertisements

2 Responses to História da Informática

  1. […] do primeiro computador foi grande. Alemanha e E.U.A disputavam essa acirrada corrida contra o tempo […] Possibly related posts: (automatically generated)História da InformáticaHistórias dos […]

  2. […] do primeiro computador foi grande. Alemanha e E.U.A disputavam essa acirrada corrida contra o tempo […] Possibly related posts: (automatically generated)História os ComputadoresLa SerenissimaDas […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: